Confira abaixo os Projetos de Pesquisa dos Professores do curso:


Jovem e consumo midiático em tempos de convergência: os usos sociais das mídias no Mato Grosso do Sul

COORDENAÇÃO | Profa. Dra. Márcia Gomes Marques

RESUMO | Esta pesquisa explora os usos sociais das mídias pelos jovens sul-mato-grossenses, averiguando o lugar cultural e social assumido por essas tecnologias e dispositivos de comunicação em suas vidas cotidianas. Os usos das tecnologias são abordados desde seus vínculos com o contexto histórico e social dos usuários de mídias. Entre os fatores observados estão as vivências que os jovens têm das mídias, seus rituais de consumo, suas formas de uso e de combinação de mídias, os usos para qualificação, trabalho, lazer, convivência e integração social. O projeto fez parte da Rede Brasil Conectado, coordenado pela profa. Nilda Jacks (UFRGS), que iniciou seus trabalhos no ano de 2012, que teve como objeto de estudo comparativo do consumo de mídias no país, contrastando as práticas de uso e de consumo desde as especificidades históricas, geográficas e econômicas das várias regiões do Brasil. Fomento: FUNDECT – MS


Ontologias – cinema, especulação, perspectivismo e pampsiquismo

COORDENAÇÃO | Prof. Dr. Julio Bezerra

RESUMO | A teoria do cinema herda uma cisão sustentada pela filosofia ocidental moderna por séculos entre homem e natureza, sujeito e objeto. Trata-se de um campo de investigação marcado por dualismos duradouros, que vêm produzindo insistentes divisões entre o que importa e o que deve ser descartado, separando realismo e formalismo, realidade e imagem, diferenciando o mundo e o espectador, o fenômeno e o olhar que o testemunha. A teoria do cinema, no entanto, também pode fornecer uma nova maneira de repensar as categorias de subjetividade e objetividade, mente e mundo, linguagem e afeto, capaz de expressar o “lá fora” (“great outdoors”) – o conceito dado por realistas especulativos para descrever o mundo das entidades para além de estruturas sujeito-objeto. Em primeiro lugar, esta pesquisa se propõe a investigar os autores que se aventuraram pela teoria cinematográfica privilegiando sua dimensão ontológica. Em segundo, em busca de diferentes caminhos para subverter o antropocentrismo e remodelar nossa maneira de imaginar e sentir o mundo, estamos interessados em demonstrar o impacto do pensamento especulativo, do perspectivismo e do pampsiquismo na teoria cinematográfica. Ao pensar no cinema com essas lentes, somos levados a possíveis formas de pensar sobre o cinema sem reforçar as ideias de “bifurcação da natureza” e “correlacionismo”.


Laboratório de Estudos do Horror e da Violência na Cultura (LEHViC)

COORDENAÇÃO | Prof. Dr. Ramiro Giroldo

RESUMO |  O Laboratório de Estudos do Horror e da Violência na Cultura não somente serve como suporte instrumental/tecnológico para a Pesquisa e o Ensino, mas sobretudo fomenta junto à Faculdade de Artes, Letras e Comunicação (FAALC) e ao Programa de Pós-Graduação Mestrado em Estudos de Linguagens (PPGEL), à Universidade Federal de Mato Grosso do Sul e a outras IES, brasileiras e do exterior, o desenvolvimento de pesquisas referentes aos temas da violência, do horror e correlatos, na cultura. O laboratório é vinculado às ações de Ensino das disciplinas sob a responsabilidade do Prof. Dr. Ramiro Giroldo, às atividades do Núcleo de Estudos Historiográficos de Mato Grosso do Sul, à pesquisa de Desenvolvimento Científico Regional “Visões utópicas de Mato Grosso do Sul na literatura”, desenvolvida com financiamento CNPq/FUNDECT, e à atuação do docente em pauta como colaborador do Programa de Pós-Graduação em Estudos de Linguagens. O projeto prevê a publicação de dois livros compostos por artigos produzidos no âmbito do laboratório. O LEHViC é um projeto aprovado no Edital Universal 01/2016, sendo financiado pelo CNPq.


A rota Brasil-Portugal da prostituição masculina: fluxos, trânsitos, relações e performances 

COORDENAÇÃO | Prof. Dr. Guilherme Passamani 

RESUMO | Este projeto busca investigar uma rota brasileira de prostituição masculina para Portugal. Ela teria origem na cidade de Campo Grande (MS), passaria por São Paulo (SP) e chegaria a Lisboa (PT). Ao longo da pesquisa, atentaremos os fluxos, os trânsitos, as relações e as performances desses homens envolvidos com os mercados do sexo em contextos transnacionais na condição de michês. O projeto se organiza a partir da intersecção entre gênero, sexualidade, prostituição masculina e trânsitos em contextos transnacionais. O projeto consistirá em uma etnografia multissituada, alocada nas três cidades e transitando pelas três cidades que funcionam como diferentes etapas dessa rota. Mais que a prostituição masculina em si, a rota – e suas particularidades – é um dos objetos privilegiados de nossa análise. Entre os principais desafios do projeto, está o de problematizar o lugar comumente destinado aos homens nas economias sexuais e o de avançar na compreensão dos trânsitos por fronteiras transnacionais tendo o mercado do sexo e as economias sexuais como elementos disparadores desses fluxos, a partir da prostituição masculina. Do ponto de vista teórico, a investigação pretende apresentar questões pertinentes aos estudos de gênero e sexualidade, aos estudos sobre mercados do sexo em contextos transnacionais, aos estudos sobre fronteiras e, até mesmo, aos estudos sobre migrações.  


Entre sujeitos e lugares: o olhar da Antropologia Urbana sobre a noite de Campo Grande-MS 

COORDENAÇÃO | Prof. Dr. Guilherme Passamani 

RESUMO | Este projeto de pesquisa tem como tema as relações entre sujeitos e lugares na noite de Campo Grande-MS a partir de aspectos ligados a lazer e entretenimento em equipamentos urbanos do centro e da periferia da cidade. Em vista disso, busca analisar as múltiplas relações que circundam a noite da cidade de Campo Grande-MS, levando em consideração questões que envolvem ocupação de lugares, grupos urbanos, sociabilidade e vulnerabilidade de alguns sujeitos em diferentes regiões da cidade. Ele se organiza a partir de como as relações de hierarquia podem limitar espaço, circulação e relações estabelecidas entre os sujeitos em uma organização que parece ser fixa ao tempo. Tratando-se de valores, Campo Grande está carregado de tradições advindas do mundo rural que movimenta a economia da cidade, através do agronegócio, e tem refletido diretamente nas formas de sociabilidade e de estilo de vida bem como na maneira que o lazer é produzido e vivenciado, resultando num modelo de urbanismo bastante particular. Todas estas análises serão enfocadas pelo projeto.


Observatório do cinema brasileiro contemporâneo

COORDENAÇÃO | Prof. Dr. Vitor Zan

RESUMO | O Observatório do cinema brasileiro contemporâneo tem por finalidade estudar criticamente, em sua dimensão estética, histórica, técnica e política, a produção audiovisual brasileira do século XXI. Seu objeto de estudo está, portanto, em constante transformação, uma vez que se reconfigura ao acompanhar as novas safras de filmes brasileiros. Se a análise fílmica está em seu cerne, o projeto não exclui de sua alçada aspectos extrafílmicos, como as formas de financiamento e distribuição, ou ainda a “posição” social, racial e de gênero dos realizadores e de suas equipes. À imagem de um observatório astronômico, trata-se de descrever e de elaborar saberes a partir da movimentação gerada por obras audiovisuais.